sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Mulheres Aspies: Mulheres Adultas com Síndrome de Asperger. Em busca de um perfil feminino da Síndrome de Asperger.

Nota da tradutora: O texto original foi escrito pela Tania Marshall, acesse-o em: Texto Original
Sugestões para melhorar a tradução, frases estranhas ou dúvidas podem ser enviadas para jupaukowski@gmail.com.

A lista que segue é um documento de trabalho oficial consistindo nas características e traços únicos de mulheres adultas com Síndrome de Asperger, ou Mulheres Aspies. Esta lista é baseada em muitas mulheres adultas com quem trabalhei durante anos. Eu avaliei, observei, diagnostiquei e trabalhei com centenas de meninas e mulheres de todas as idades. Este documento é baseado em minha evidência anedótica clínica e pesquisa por outros profissionais reconhecidos. Eu modificarei e/ou atualizarei essa lista de tempos em tempos. Esta lista foi escrita por minhas reflexões, observações e experiências, e é escrita sem ordem particular. Nenhuma pessoa precisa ter todos os traços, e raramente alguém se identificará com todos eles.

Este perfil foi criado para mulheres que estão se auto-diagnosticando ou considerando um diagnóstico formal, e para ajudar profissionais da saúde mental a reconhecer a Síndrome de Asperger em mulheres adultas.

Mulheres com Síndrome de Asperger experimentam seus sintomas em vários níveis, então enquanto algumas mulheres Aspies são muito introvertidas, outras não são. Muitas mulheres não serão encaixadas nos critérios formais devido aos seus mecanismos de cópia. Elas serão definidas como "sub-clínicas" ou como tendo "Asperger residual". Mulheres com Síndrome de Asperger ou Autismo tendem a ser discriminadas por conta do largo espectro de habilidades ou níveis de funcionamento que existe. A maioria das mulheres não recebem um diagnóstico formal até a idade adulta.

Esta lista caracteriza muitas das Mulheres Aspies de meia-idade com quem trabalhei. Estes traços também dependem de alguma forma da severidade, se você foi avaliada e diagnosticada e/ou recebe suporte e intervenção.

Sobre Tania Marshall

Tania está terminando seu doutorado/PhD em Estudos sobre Autismo, especializando-se em mulheres com Autismo. Ela tem mestrado em Psicologia do Desenvolvimento em Psicologia Aplicada e Bacharelado em Psicologia.

1. Habilidades Cognitivas/Intelectuais
  • Tende a ter inteligência de acima da média a excepcional, frequentemente (mas não sempre) com divisões significativas entre as habilidades de raciocínio verbal e perceptual, velocidades mais baixas de memória de trabalho e/ou processamento, dificuldades de aprendizagem (por exemplo, discalculia, dislexia, dificuldade na compreensão de leitura).
  • Memória de longo prazo mais forte.
  • Memória de curto prazo mais fraca.
  • Pode precisar de ajustes acadêmicos na Universidade.
  • Um perfil de aprendizagem distinto, constituído por picos de pontos fortes e fracos. Dificuldades/diferenças na aprendizagem.
  • Pode ser atormentada por pensamentos negativos rígidos, estilo de pensamento preto ou branco, inflexível.
2. Educação/Vida Universitária
  • Pode ter largado o ensino médio e voltado depois, ou repetido um ano. Pode ter graduações não terminadas ou parciais, pode ter terminado várias graduações, muitas têm doutorado. Podem ter levado mais tempo para atingir seu nível educacional em comparação com seus colegas.
  • Pode ter histórico em se matricular e frequentar disciplinas na universidade, para em seguida trancar disciplinas ou semestres. Algum tempo depois, ela se re-matricula/frequenta mais tarde. Usualmente isso acontece por ela estar sobrecarregada. Também é comum um histórico de adiar exames/provas, não comparecer às aulas e desistir de disciplinas ou programas.
  • Pode ter repetido o ensino médio ou cursos OU largado estes completamente.
  • Um histórico de muitos médicos e visitas a orientadores durante a vida universitária, sem uma melhora significativa.
  • Dificuldade ao fazer a mesma quantidade de cursos ou disciplinas que seus colegas.
  • Pode se perder facilmente no campus, perder objetos, chegar atrasada para classes ou provas.
3. Carreira/Trabalho
  • Frequentemente é atraída por profissões que envolvem ajudar outras pessoas, arte ou animais, e frequentemente é "expert" na carreira escolhida. Conheço muitas Mulheres Aspies bem sucedidas nas seguintes carreiras: Artistas, cantoras, atrizes, poetas, escritoras, professoras, psicólogas, psiquiatras, consultoras/professoras de pessoas com necessidades especiais, treinadoras de cavalos, médicas, cientistas, contadoras, autoras, babás, modelos, comediantes, especialistas em computadores, tratadoras de animais ou trabalhando em zoólogicos, professoras em universidade, enfermeiras, psíquicas/médiuns, empresárias e fotógrafas.
  • Pode perder dias de trabalho devido à exaustão social.
  • Pode ter grandes dificuldades para comparecer/participar de reuniões, almoços e eventos sociais do trabalho.
  • Pode inventar desculpas para não cumprir funções no trabalho.
  • Pode ter um histórico de não conseguir lidar com o ambiente de trabalho/emprego, frequentemente indo de trabalho em trabalho, especialmente nos primeiros anos da vida adulta.
  • Trabalhadora assídua e dedicada.
  • Pode ficar estressada se tiver muito trabalho para fazer em um curto espaço de tempo.
  • Pode ficar frustrada/estressada se a pedem pra fazer muitas coisas ao mesmo tempo.
  • Tenta com muito esforço evitar cometer erros e esquecer coisas.
  • Se esforça para agradar os outros.
  • Pode se demitir ou terminar relacionamentos sem aviso prévio.
4. Social e Amizades/Relacionamentos
  • Preferência por interações sociais um-a-um, tendo uma única amizade próxima.
  • Precisa de mais tempo afastada de pessoas do que seus pares (solidão).
  • Pode ficar confusa em situações de grupos sociais.
  • Prefere conversar sobre seus interesses especiais.
  • Realmente não gosta de 'papo fiado' ou conversas que não possuem uma função ou propósito.
  • Histórico de sofrer bullying, ser provocada, deixada de lado e/ou não se adequando a colegas de mesma idade, a menos que ela tenha amigos Aspies.
  • Forte antipatia por conversa fiada, fofocas, coisas sem sentido, mentidas.
  • Desgosto intenso por mentiras, apesar de poder mentir.
  • Tem habilidade em socializar, mas é incapaz de o fazer por longos períodos de tempo. Sofre de "exaustão social" ou de uma "ressaca social" quando socializa por muito tempo. A ressaca pode durar de algumas horas a alguns dias, o que pode ser debilitante.
  • Tem grandes dificuldades em conflitos, discussões, quando alguém grita com ela, brigas, guerra.
  • Tem muita dificuldade em se afirmar, pedir ajuda, estabelecer limites.
  • Pode precisar beber para ser sociável.
  • Pode ter atualmente ou no passado transtorno de estresse pós-traumático, por ser mal compreendida, mal diagnosticada, maltratada e/ou medicada erroneamente.
  • Diferentes habilidades sociais -- é excepcionalmente boa em conversas um-a-um e apresentando para grupos, mas tem dificuldades trabalhando em situações de grupos.
  • Pode se achar em situações sociais ou relacionamentos em que ela se sente infeliz, mas não sabe como sair deles.
  • Histórico de outros tirarem vantagem dela, apesar de ela seguir apropriadamente os conselhos de negócios, legais ou sociais das outras pessoas.
  • Frequentemente entediada em situações sociais ou festas e/ou não sabe como agir em situações sociais.
  • Pode aceitar ir em eventos sociais, e mais tarde inventar uma desculpa do porquê ela não pode ir, frequentemente ficando em casa sozinha.
  • Frequentemente prefere se dedicar ao seu interesse especial, ao invés de socializar.
  • Pode ser considerada a "ovelha negra" da família.
  • Outras pessoas a consideram differente, estranha e excêntrica.
  • Pode sentir como se tivesse que agir "normalmente" para agradar os outros OU não se importa nada em ser adequada.
  • Copia, imita, atua para se adaptar e fazer os outros gostarem dela.
  • Tenta agradar os outros, mas pode fazer coisas extremas de repente (por exemplo, terminar relacionamentos).
  • Mulheres parecem ser melhores que homens mascarando os traços do autismo em situações sociais. Apesar disso, mulheres são menos habilidosas ao fazer isso em situações não familiares.
  • Pode ser considerada uma pessoa solitária, pode ter muitos conhecidos, mas não amigos de verdade.
5. Comunicação
  • Dificuldades ao comunicar seus pensamentos e sentimentos, em palavras, para outros, especialmente se estiver ansiosa, estressada ou chateada. Frequentemente ela pode digitar ou escrever seus pensamentos muito melhor.
  • Pode não gostar de pedir ajuda para os outros, sendo incapaz de pedir ajuda ou não sabendo como pedir ajuda.
  • Pode ser passiva, não sabendo estabelecer limites.
  • Pode ofender outras pessoas dizendo o que pensa, mesmo que ela não tenha a intenção.
  • Pode apontar erros dos outros.
  • Pode dar muitos detalhes e acabar entediando os outros sem querer.
  • Pode fazer perguntas embaraçosas (usualmente quando é mais nova).
  • Voz incomum (monótona, muito aguda, parecida com voz de criança)
  • Tendência a interpretar coisas literalmente, não entendendo o que a pessoa está tentando dizer.
  • Pode falar muito alto ou muito baixo, frequentemente sem perceber que está fazendo isso.
  • Fica surpresa quando outras pessoas dizem que ela está sendo rude ou inapropriada.
6. Fisiologia/Neurologia

A. Muito Sensível
  • Sensibilidade muito alta, pode não ser capaz de ouvir ou ver notícias, ouvir rádio, ler jornal, assistir shows/filmes violentos ou filmes de terror, ver animais machucados ou feridos, abuso, guerra, trauma, é sensível às emoções e "atmosfera emotiva" do ambiente.
    B. Desordem/Condição do Processamento Sensorial
    • Pode ter sensibilidade sensorial nas seguintes áreas: audição, visão, paladar, tato, olfato, equilíbrio, movimento.
    • Pode ser muito sensível a dor ou ter grande resistência a ela.
    • Pode se importar com o gosto ou textura da comida, e um pode ser mais importante que o outro.
    • Pode ser desastrada ou descoordenada.
    • Pode não gostar de barulhos altos e/ou se sentir sobrecarregada ou estressada por luzes brilhantes, cheiros fortes, tecidos/roupas ásperos ou sirenes passando por perto.
    • Pode achar crianças difíceis de lidar por causa do choro, gritos e outros barulhos altos.
    • Sensível com a textura das roupas e isso é mais importante do que a aparência delas.
    • Pode ter que se retirar, se isolar ou isolar outras pessoas quando fica sobrecarregada pelos sentidos.
    • Pode não ser capaz de tolerar sons, visões, cheiros, texturas, movimentos que ela não gosta.
    • Pode não gostar de ser abraçada, acariciada ou segurada. "Só gosto de abraçar se a decisão é minha".
    • Pode ficar chateada ou incomodada se impedida de seguir uma rota familiar quando vai pra algum lugar.
    • Coisas que deviam ser doloridas podem não o ser (se machuca e não sabe como aconteceu).
    • Sistema nervoso tende a se sobrecarregar facilmente, levando a um retrocesso (por exemplo, ir para um canto quieto em uma festa).
    • Fome muito grande pode deixá-la de mau-humor e/ou afetar a habilidade de foco.
    • Ela pode notar e gostar de fragrâncias, gostos, sons, trabalhos artísticos e peças de música delicados ou finos.
    C. Pesquisas recentes com escaneamento do cérebro aponta para um papel maior da Amígdala causando maior emoções, ansiedade e raiva.

    D. Pode ter problemas no processamento auditivo.

    E. Pode ter Síndrome de Irlen.

    F. Pode ranger os dentes.

    G. Pode ter Transtorno Obsessivo Compulsivos ou traços dele.

    H.  Pode ter um ou mais dos seis tipos de Déficit de Atenção.

    I. Normalmente tem dificuldade em funções executivas (por exemplo, gestão do tempo, planejamento antecipado, organização).

    J. Pode se balançar, balançar a perna, ficar inquieta ou outros movimentos com as mãos, enrolar o cabelo, acariciar um tecido macio para se acalmar.

    K. Pode ser muito sensível a medicamentos, cafeína e/ou álcool.

    L. Pode ter alergia/intolerância a glúten, trigo, caseína ou outros.

    M. Pode ter dificuldade para dormir.

    N. Pode ter Dispraxia.

    O. Pode ter tiques (por exemplo, limpar a garganta, tossir)

      7. Aparência Física
      • Normalmente se veste diferente dos seus colegas, muitas vezes de modo excêntrico, pode se vestir mais pelo conforto do que pela aparência.
      • Pode se vestir "bem demais" ou de forma não convencional para certas ocasiões.
      • Pode tentar se adequar ao ambiente pela aparência, ou não se importar nem um pouco.
      • Pode não tomar banho ou manter a higiene às vezes, devido às diferentes prioridades (normalmente envolvendo interesses especiais).
      • Parece mais nova do que é.
      • Tem uma voz incomum: pode ser infantil, monótona, muito alta ou muito baixa.
      • Frequentemente faz certas coisas com as mãos (enrolar os cabelos ou coisas, movimentos diferentes) ou pernas ("pernas inquietas" ou balançando quando em pé).
      8. Estilo de vida
      • Livros, computadores, internet, animais, crianças, natureza podem ser os melhores amigos dela.
      • Ela adora ambientes quietos, solidão, paz.
      • Ela pode ser ultra-religiosa ou não ser nem um pouco. Budismo parece ser comum.
      • Pode preferir passar o máximo de tempo possível sozinha, com animais ou na natureza.
      • Pode ter preferência por rotina e coisas que não mudam dia após dia.
      • Tem prazer em fazer o trabalho que escolheu e/ou seus interesses especiais.
      • Ela pode fazer de sua maior prioridade arranjar sua vida, eventos, trabalho e ambiente para evitar situações devastadoras, estressantes ou perturbadoras.
      9. Escolhas de Relacionamentos/Sexualidade/Gênero
      • Pode namorar ou casar com parceiros muito mais velhos ou muito mais novos, do mesmo sexo, tendendo a não ver "idade", "gênero" e sim a personalidade da pessoa primeiro.
      • Pode ser assexual, tendo preferências que julgam mais importantes que sexo ou um relacionamento.
      • Pode ser "hipersexual", fascinada pelo contato físico sexual.
      • Pode ser diferente de seus pares em termos de flexibilidade a respeito da orientação sexual ou pode pensar em ou querer mudar de sexo. Alguns indivíduos podem mudar de sexo ou experimentar com sexualidade como meio de achar sucesso social ou se ajustar e se sentir menos diferente.
      • Pode não querer ou precisar de relações íntimas (assexual).
      • Tem uma grande flexibilidade em sexualidade e/ou gênero. Pode ser heterossexual, assexual, gay, bi-sexual ou transgênero.
      10. Interesses Especiais
      • Um interesse especial pode envolver a carreira da pessoa, fantasia, escrita, animais, leitura - para citar alguns.
      • Habilidade em "hiperfocar" por longos períodos de tempo em algo envolvendo o interesse especial.
      • Ama e tem prazer em solidão, paz e quietude. Solidão é frequentemente descrita como "precisando dela como preciso do ar que respiro".
      • Um amor intenso por natureza e animais.
      • Tem habilidade em hiperfocar no seu interesse especial por horas, frequentemente perdendo a noção do tempo.
      • Frequentemente não têm interesse no que outras pessoas acham interessante.
      • Pode colecionar ou guardar itens de interesse.
      11. Emocional
      • Sente as coisas profundamente.
      • O humor de outras pessoas a afeta, especialmente se eles são negativos.
      • Tende a ser muito sensível à dor emocional.
      • Profundamente comovida por artes, música, alguns filmes.
      • Pode não ser capaz de assistir filmes de terror, violência, filmes perturbadores e programas de notícias.
      • Vive com ansiedade contínua e generalizada e crises de depressão.
      • Dificuldade ao regular emoções e controlando stress.
      • É socialmente e emocionalmente mais jovem/imatura que aqueles em sua idade cronológica, muito mais jovem se tem vinte e poucos anos.
      • Ingênua, honesta (normalmente honesta demais).
      • Emocionalmente honesta demais (falta de habilidade ou dificuldade em esconder os sentimentos verdadeiros, quando seria socialmente mais aceitável se ela o fizesse)
      • Sente emoções intensas de todos os tipos (por exemplo, quando ela se apaixona, se apaixona profundamente).
      • Ela pode pensar que está tendo compaixão, mas as ações dela podem não ser interpretadas dessa forma.
      • Muito sensível e tem muita empatia.
      • Usualmente conecta e/ou é muito sensível a certos personagens em filmes.
      • Muito sensível a problemas que afetam a Terra, animais, pessoas, direito, justiça, direitos humanos e os oprimidos.
      12. Características da Personalidade e/ou Traços e Habilidades
      • Uma líder natural, independente, de vontade forte e pode ser muito competitiva.
      • Muitos níveis de introversão OU pode ser extrovertida.
      • Geralmente não possui um senso forte de si, auto-estima e/ou identidade. Pode usar habilidades de "camaleão" para assimilar e se envolver em uma variedade de grupos ou pessoas diferentes com o passar do tempo, em busca de uma identidade verdadeira.
      • Tem um grande senso de justiça e integridade, é uma buscadora de justiça.
      • Muito criativa e pode ter um turbilhão de ideias originais.
      • Não gosta de mudanças e pode ficar desorientada e estressada.
      • Muito sensível a críticas ou o que percebe como criticismo.
      • Não gosta de ser observada quando deve fazer uma performance.
      • Podem ter falado pra ela que ela se importa demais, faz muito pelos outros e/ou é muito sensível.
      • É perfeccionista.
      • Atenção a detalhes.
      • Obsessões/interesses especiais podem ser de curto período (mudando de um para outro rapidamente) ou de longo período (podendo fazer uma ótima carreira)
      • Inocência, confiança demais e interpretar outras pessoas literalmente são ingredientes poderosos para sofrer bullying e ser alvo de abusos.
      • Se sente muito diferente de seus pares, frequentemente descrita como sendo de outro planeta.
      • Pode não ter um senso de si mesma e/ou identidade, auto-estima.
      • Tende a ser muito séria, às vezes séria demais.
      • É intensa em tudo o que ela faz.
      • Quando criança, pode ter sido descrita como muito sensível e/ou tímida.
      13. Histórico Mental do Passado e/ou Presente
      • Pode ter um histórico de chorar muito, sem saber o porquê.
      • Pode ter um longo histórico de visitas a terapias, psiquiatras, psicólogos.
      • Pode ter tentado muitos medicamentos.
      • Sofre de ansiedade social e transtorno de ansiedade generalizada.
      • Pode ter Transtorno Obsessivo Compulsivo ou apresentar traços dele.
      • Pode ter um ou mais dos seis tipos de Déficit de Atenção.
      • Apresenta depressão contínua e/ou cansaço/exaustão sem saber o porquê.
      • Um histórico de tentativa de entender a si mesma, de achar respostas para explicar a si mesma e o porquê de ela se sentir diferente ou não conseguir se encaixar, como mulher.
      • Um histórico de muitas visitas a médicos e conselheiros durande a vida universitária.
      • Pode ter um histórico na familía de Autismo, Asperger, Bipolaridade, Esquisofrenia, Déficit de Atenção, Transtorno Obsessivo Compulsivo, Desordens de Ansiedade.
      • Pode ter sido diagnosticada erroneamente como bipolar, personalidade borderline ou esquisofrenia.
      • Pode ter sido diagnosticada previamente com desordem de ansiedade, depressão, transtorno alimentar, personalidade borderline, bipolar e/ou déficit de atenção.
      • Histórico de depressão, ansiedade, transtornos alimentares, alterações extremas de humor.
      14. Mecanismos de Cópia
      • Pode ter recorrido a álcool, drogas, cigarro para conseguir lidar com emoções intensas, auto-medicação e/ou socialização/ajustes e/ou ser aceita em um grupo.
      • Pode usar uma personalidade diferente quando está em público, para ajudar a lidar com a situação.
      • Pode ter desenvolvido vários mecanismos de cópia disfuncionais (por exemplo, arrogância e/ou narcisismo).
      • Pode mudar de gênero ou sexualidade como tentativa de se ajustar e/ou achar um grupo certo.
      • Usa imitação, ecolalia social para fingir que é normal, ou se passar por normal.
      • Pode se balançar em pé, sentada, em uma cadeira de balanço para se acalmar.
      • Pode precisar se retirar para a cama ou um canto escuro ou um lugar sozinha para ter privacidade, quietude e administrar sobrecarga sensorial e/ou social.
      • Retiro e/ou Esquiva de situações.
      • Pode desenvolver um transtorno de personalidade como meio de lidar com a Síndrome de Asperger.
      15. Sexto Sentido, Intuição, Habilidades Psíquicas
      • Tem a habilidade de "sentir" as emoções de outras pessoas.
      • Pode "saber" de coisas, sem saber como ela obteve o conhecimento.
      • Pode trabalhar como "psíquica" ou "médium"
      16. Habilidades Únicas e Pontos Fortes
      • Inteligente, precisa de conhecimento e ama aprender.
      • Pode aprender sozinha qualquer coisa que ela coloque na cabeça.
      • É teimosa, determinada e independente.
      • Perfeccionista.
      • Tem uma memória de longo termo impressionante, memória fotográfica.
      • Ótimo senso de humor.
      • Pode trabalhar muito bem em uma situação de crise.
      • Pensa profundamente, muito reflexiva.
      • Resiliência, uma habilidade para ir de uma crise para outra, retornar para começar de novo e de novo.
      • Atenção a detalhes.
      • Ótima em situações um-a-um ou apresentando para grupos.
      • Mais como "filósofas" do que "professoras", mas pode ser ambas.
      • Visualiza coisas mentalmente com muitos detalhes, aprende melhor visualmente.
      • Pode ter talento com arte, música, escrita, línguas.
      • Muito intuitiva.
      • Capaz de pensamentos filosóficos profundos, mulheres com Aspergers frequentemente se tornam escritoras, poetas, artistas, cantoras, atrizes ou professoras.
      17. Desafios
      • Pode ter dificuldade em entender emoções sutis, por exemplo, quando alguém sente ciúmes ou está com vergonha, não está interessado ou está entediado.
      • Manter aparências, se passar por normal.
      • Controlar emoções.
      • Dificuldades com aprendizado.
      • Pode ficar muito irritada com mudanças inesperadas.
      • Pode não conseguir saber se alguém está flertando com ela.
      • Difícil de trabalhar e funcionar dentro de um grupo.
      • Muita dificuldade e muito sensível a conflitos, estresse, discuções, brigas, guerras, fofocas e negatividade.
      • Conversa fiada, sem uma "função", manter amizades e relacionamentos, ansiedade social ou fobia social.
      • Pode gostar ou preferir ficar sozinha o máximo possível.
      • Pode achar difícil entender o que os outros esperam dela.
      • Outros tiram vantagem dela devido a sua inocência e confiança nos outros demais.
      • Limites (usualmente quando mais nova)
      • Pode ter dificuldades preenchendo formulários, burocracias (imposto de renda), controlando dinheiro.
      • Pode ter dificuldade reconhecendo ou lembrando de rostos.
      18. Empatia
      • Pode não ter empatia cognitiva e hiperempatia (por exemplo, muita empatia afetiva)
      • Empatia Cognitiva: Habilidade de predizer pensamentos e intenções da outra pessoa, sabendo como a outra pessoa se sente e o que ela pode estar pensando.
      • Empatia Emocional/Afetiva: A habilidade ou capacidade de reconhecer emoções que outra pessoa está sendindo, quando você sente os sentimentos da outra pessoa junto com a outra pessoa, como se fossem seus próprios. Neurociência social diz que esse tipo de empatia tem a ver com o sistema de neurônios-espelho. Empatia emocional contribui com um indivíduo se identificar com o mundo emocional interior de outra pessoa, uma vantagem para pessoas em várias carreiras, de enfermeira a professora a assistente social, psicologia e outras profissões do tipo.
      • Empatia de Compaixão, ou "Preocupação Empática": Esse tipo de empatia nos ajuda a entender a situação de uma pessoa e sentir com ela, e também querer espontaneamente ajudá-la, se e quando a outra pessoa precisa de ajuda. Quando estressada, as habilidades de teoria da mente podem desaparecer completamente.
      19. Pode ter Síndrome de Ehlers-Danlos.

      20. Pode ter um desejo intenso de agradar os outros e/ou que os outros gostem dela. Pode ficar extremamente chateada se ela tem a impressão que alguém não gosta dela ou se alguém realmente não gosta dela.

      21. Dificuldades com funcionamento executivo pode incluir: problemas em tomar decisões, gestão de tempo, planejamento prévio, organização, completar tarefas.

      22. Pode passar a vida se esforçando para "fingir", "se ajustar", "passar por normal" socialmente. Pode ter usado livros sobre linguagem corporal, espelhos, curso de teatro para melhorar as habilidades sociais.

      23. Pode ter tocofobia, o medo de dar a luz.


      24. Pode ter disforia de gênero, que é um diagnóstico formal para indivíduos que sentem e experimentam estresse e infelicidade significativos com seu gênero de nascimento e/ou papel de gênero. Esses indivíduos são conhecidos como transsexuais ou transgêneros.

      Tania Marshall©. Todos os direitos reservados. Cópia total ou parcial é totalmente proibida. Aspiengirl©, Aspienwoman/women© e Planet Aspien© são marcas registradas. 

                                                    41 comentários:

                                                    1. Sabe o que é ser dicriminada dentro da própria família? Eu não era só a ovelha negra: era a "bicho ruim", "sangue ruim". Todo dia tinha algum aleijado mental para emitir uma opinião sobre mim, gente despreparada que se achava acima do bem e do mal, gente que hoje, percebo, tinha muito medo de ser ultrapassado por minhas habilidades. Sofrível. Mas, ainda hoje, continuo tendo que enfrentar muitos desafios, sendo o diagnóstico e o tratamento os mais confusos.

                                                      Obrigada pela postagem. De verdade. Sou grata até os ossos.

                                                      ResponderExcluir
                                                      Respostas
                                                      1. Não tenho síndrome de Asperger, mas tenho TAS, e creia-me: sei como é isso.

                                                        O grande problema da sociedade é que AS EXPECTATIVAS IRREALISTAS DESTROEM A VIDA DE PESSOAS QUE NÃO SE ENCAIXAM NA "PERSONALIDADE PADRÃO"...

                                                        Pessoas mais introvertidas, tímidas, contidas, com menor necessidade social ou qualquer coisa do gênero são vistas como estranhas, arrogantes, chatas, idiotas... Parece que ser extrovertido é a regra normal da vida e qualquer um que não o seja é simplesmente tratado como um ET...

                                                        Excluir
                                                    2. Excelente texto. Notei especialmente essa parte: "Pode ter Síndrome de Ehlers-Danlos". Isso eu tenho, e até atrapalha no meu equilíbrio geral, sou muito flexível. Mas no aspecto emocional, sou um tipo de aspie muito árido.

                                                      ResponderExcluir
                                                    3. Peço licença para copiar ao texto (original+tradução), pois é muito explicativo e esclare cedor.
                                                      Sou Asperger e procuro maneiras de me 'autoajudar' e me 'autocompreender', bem como, desenvolver uma terapia holística com música (sou musicista).

                                                      Obrigada por compartilhar...
                                                      Abraços musicais,
                                                      Nirma Regina

                                                      ResponderExcluir
                                                    4. Estou muito feliz em saber que existem profissionais especializados nos aspectos da mulher aspie, o texto foi muito esclarecedor e agora já não me sinto perdida. Parece que o texto foi feito pra mim, sou eu em quase 100% dos tópicos.

                                                      ResponderExcluir
                                                    5. Bem, não sei se tenho a síndrome, mas me identifico com a maior parte dos tópicos abordados, principalmente "ressaca social". Lembro que durante um ano, durante os eventos sociais eu me trancava no quarto, porque não conseguia lidar com a situação do medo. Hoje eu procuro enfrentar mais, inclusive fui numa entrevista hoje. Sempre movimento as pernas ou até mesmo o corpo, quando parada, e se tiver com algum papel na mão eu começo a amassar. Bem, frequento há 4 anos clínicas de psicologia, e tomo medicamentos para controle de ansiedade, e inclusive já fiz alguns testes na internet que diziam que seria bom eu procurar um profissional pra constatar, mas nunca perguntei aos médicos pois tenho medo que pensem que eu estou inventando algo. Será que é difícil ter um diagnóstico concreto?

                                                      ResponderExcluir
                                                      Respostas
                                                      1. Estou praticamente na mesma situação que você. Como Síndrome de Asperger não é tão conhecida e divulgada e de difícil diagnóstico, principalmente em mulheres adultas, eu fico na dúvida se falo com minha psiquiatra sobre isso e ela me dizer que é coisa da minha cabeça.

                                                        Excluir
                                                    6. meu irmão tem diagnóstico de asperger, e eu tenho diagnóstico de depressão desde os 12 anos, mas, curiosamente, ninguém, nem os médicos e psicólogos, pensou que eu poderia ter asperger também... muito recentemente descobri que isso se devia à diferença dos sintomas entre homens e mulheres, e agora estou começando a pesquisar. muito obrigada por postar este texto, de coração!

                                                      ResponderExcluir
                                                    7. Gostei da informação! Eu sou Aspie.

                                                      ResponderExcluir
                                                    8. Me vi em cada tópico! Sempre sou acusada de um comportamento infantil, tenho dificuldade em ser presente na vida das pessoas e mais todos os tópicos acima. Sempre tiveram minha agitação das pernas como hiperatividade e minha confusão mental como dislexia. N me visto com "roupas de mulher" e nem masculinas. Sou e sempre fui genderfluid. Comecei a pesquisar sobre o Asperger, me encaixava em alguns sintomas, mas a maioria eram para homens e me confundia. Obrigada pelo texto! Foi muito esclarecedor.

                                                      ResponderExcluir
                                                      Respostas
                                                      1. O curioso é que fui lendo o texto, e, de cara, vi muitas características em comum com a Síndrome de Irlen. MUITAS, mas MUITAS mesmo!!! E eis que, em um dado momento da lista, aparece: "[Mulheres Aspies] podem ter Síndrome de Irlen".

                                                        Então está esclarecido!!! =) Tais características em comum entre Aspies e pessoas com S. Irlen (sobretudo em quem tem Síndrome de Irlen bem severa) se referem, basicamente, a: sobrecarga sensorial, episódio de hiperatividade e tiques, dificuldade de lidar com muita coisa ao mesmo tempo, um ritmo mais 'devagar' nos estudos universitários e, principalmente, a famosa ''ressaca social".

                                                        Muito esclarecedor o texto, pois, através dele, é possível que a pessoa esteja mais consciente de suas características... e consiga, assim, mais facilmente, entender a si própria e buscar soluções para lidar com este mundo que, convenhamos, é desafiante para quem não é neurotípico! Um grande abraço!

                                                        Excluir
                                                      2. Só um complemento a meu comentário anterior: apesar de várias pessoas com S. de Irlen se queixarem de ''ressaca social'', isso não quer dizer que elas tenham dificuldade de socializar. Muito pelo contrário! Tem gente que é bem falante, mas que, depois de um certo tempo, sente aquela imensa necessidade ''vital'' de estar só, para ''recarregar'' as energias. Então, está aí a diferença para o quadro de Aspergers, que, por sua vez, costumam ter dificuldade de comunicação e de interações sociais.

                                                        Resumindo: Muitas Aspies podem ter, também, S. de Irlen... mas nem toda pessoa com S. de irlen é Aspie... certinho? ;-)

                                                        Excluir
                                                    9. Me apaixonei por uma pessoa aspie, e quando ela me contou eu não me importei, quero ficar mais perto dela para ajudar, entender. Marquei uma viagem para nós duas em uma ilha isolada, ela escolheu o hotel mais longe do centro de turismo, e não me importei com isso, pois só quero estar com ela. Há 3 dias da viagem ela sumiu e quando ela me enviou uma mensagem disse apenas que sentia muito, mas que a familia dela decidiu internar ela em um hospital, e sumiu de novo. Estou desesperada tentando saber onde ela está pois quero ajuda-la. Como disse a Cecilia acima, acho que a familia dela não sabe lidar muito bem com isso. Bem, nada mais tenho que fazer a não ser esperar o contato dela. A viagem continua agendada, não consegui concelar, pois ainda tenho a esperança dela me encontrar. Eu só quero ajudar.

                                                      ResponderExcluir
                                                      Respostas
                                                      1. Ei, o que acabou acontecendo? Quantos anos ela tem?

                                                        Excluir
                                                    10. Me apaixonei por uma pessoa aspie, e quando ela me contou eu não me importei, quero ficar mais perto dela para ajudar, entender. Marquei uma viagem para nós duas em uma ilha isolada, ela escolheu o hotel mais longe do centro de turismo, e não me importei com isso, pois só quero estar com ela. Há 3 dias da viagem ela sumiu e quando ela me enviou uma mensagem disse apenas que sentia muito, mas que a familia dela decidiu internar ela em um hospital, e sumiu de novo. Estou desesperada tentando saber onde ela está pois quero ajuda-la. Como disse a Cecilia acima, acho que a familia dela não sabe lidar muito bem com isso. Bem, nada mais tenho que fazer a não ser esperar o contato dela. A viagem continua agendada, não consegui concelar, pois ainda tenho a esperança dela me encontrar. Eu só quero ajudar.

                                                      ResponderExcluir
                                                    11. Simplesmente fantástico!!!
                                                      Tem alguém que me conhece como realmente sou, (rsrsrsrs).
                                                      Peço licença para copiá-lo, pois foi o melhor que já tive acesso.
                                                      Obrigada!

                                                      ResponderExcluir
                                                    12. Simplesmente fantástico!!!
                                                      Tem alguém que me conhece como realmente sou, (rsrsrsrs).
                                                      Peço licença para copiá-lo, pois foi o melhor que já tive acesso.
                                                      Obrigada!

                                                      ResponderExcluir
                                                    13. Essa sou eu. Essa somos nós. Ovelhas psicodélicas.

                                                      ResponderExcluir
                                                    14. Essa sou eu. Essa somos nós. Ovelhas psicodélicas.

                                                      ResponderExcluir
                                                    15. bom ótimo texto me encaixei exatamente em todas as caracteristicas, de certa forma isso foi meio que assustador, mais pelo menos agora sei que tem um motivo para que eu seja assim, isso explica muita coisa. ate meu esposo acho esse texto de grande ajuda.
                                                      parabéns continue com o ótimo trabalho

                                                      ResponderExcluir
                                                    16. Eu me identifiquei com muitas e muitas das características descritas. Muito bem. E agora??

                                                      ResponderExcluir
                                                    17. Eu me identifiquei com muitas e muitas das características descritas. Muito bem. E agora??

                                                      ResponderExcluir
                                                    18. Muito bom. Mulheres aspies tem diferenças importantes em relação a homens aspies, porq ela nos concede uma percepção de mundo diferente mas não quer dizer que a socialização da mulher (educação cultural) não seja absorvida. É e muito. Homens aspies costumam ser rudes e frios, enquanto as mulheres são ultrasensíveis. O asperger canaliza fortemente o papel de gênero.

                                                      ResponderExcluir
                                                    19. Este comentário foi removido pelo autor.

                                                      ResponderExcluir
                                                    20. Olá, tenho uma dúvida quanto ao aspecto cerebral da síndrome de asperger. As amígdalas são mais ou menos ativadas que o normal? Por que eu pesquiso sobre isso e encontro informações contraditórias e estou confuso. Provavelmente eu e meu irmão temos asperger e pelo que aparenta, aspergers têm tendência à ataques de fúria, então acho que ela é mais ativada que o normal. Isso está correto?

                                                      ResponderExcluir
                                                      Respostas
                                                      1. Sim, correto. As amígdalas são hiperativadas em pessoas com Asperger. As amígdalas controlam as emoções, principalmente do medo (= por isso a ansiedade) e da raiva (=por isso a irritabilidade). Tente pesquisar temas como "neurologia ou neurobiologia do autismo" ou "o cérebro no autismo".

                                                        Excluir
                                                    21. Om...
                                                      mbrigada pela postagem, muito esclarecedora,acho que todos temos alguum traço da sindrome independente de ser genetico, as pessoas deveriam se conhecer melhor, isto ajudaria muito os relacionamentos pessais e familiares, e assim acabariam os rotulos, os preconceitos e o bullyng tb..

                                                      ResponderExcluir
                                                    22. A tradução para "Coping Mecanisms" seria "mecanismos de sobrevivência" e não "mecanismos de cópia". Favor, revisar a tradução.

                                                      ResponderExcluir
                                                    23. Este comentário foi removido pelo autor.

                                                      ResponderExcluir
                                                    24. Eu apenas faria a sugestão de retirar a parte do título que diz "Delírios de" porque o texto é ótimo, não tem nada de delírios e não devemos menosprezar o que as mulheres com Asperger sentem nem dar margem para interpretação errada que outras pessoas podem fazer ao ler o título.

                                                      ResponderExcluir
                                                    25. Tenho certeza que esse texto ajudou e vai ajudar mais ainda,todas as mulheres que estão dentro do espectro autista a conhecer um pouco de sí mesma.

                                                      Descobri sobre a sindrome de asperger a mais ou menos 2 anos, fazendo pesquisas na internet, procurando ajuda, livros de auto ajuda, depoimentos, de como eu pudesse me integrar a sociedade, coisas desse tipo.

                                                      ResponderExcluir
                                                    26. Este comentário foi removido pelo autor.

                                                      ResponderExcluir
                                                    27. Acabei de encontrar me em tantas mas tantas coisas
                                                      Sempre quando falo no psiquiatra que quero fazer exames sinto me ignorada
                                                      Não tenho meios para fazer em privado...
                                                      tenho quase 50 anos
                                                      Vou desistir pelos vistos do diagnóstico

                                                      ResponderExcluir
                                                    28. Tenho 38 anos e nunca li algo que fosse tão eu, excepcionalmente a parte em que fala de ressaca social, chego a passar mal e chorar depois de uma exposição muito intensa. Como ter um diagnóstico preciso? Muda algo afinal? Existe algo a ser feito nesta idade em que possa ajuda?

                                                      ResponderExcluir
                                                    29. Peço permissão para compartilhar o link da página no meu vídeo. Se caso não for permitido, por favor me avise. Obrigada. O link do meu vídeo é esse: https://www.youtube.com/watch?v=iSCjwtvv1dA

                                                      ResponderExcluir
                                                    30. Eu me sinto exatamente assim, como consigo um diagnóstico? Oq eu faço?

                                                      ResponderExcluir